Poesia – Equilíbrio (Kátia Marques autoral)

EQUILÍBRIO

O planeta jaz num imundo,
Infame e profundo,
Oceano de intolerância e desrespeito.

Querer o que é de direito?
Ou direito de querer o que quiser?
Até que ponto o ser humano,
Pode impor,
O impossível,
Ao seu próximo e semelhante?

O que eu quero?
O que você quer?
O que nós queremos?
NÃO IMPORTA.

Que você queira o que quiser,
Que você ame a quem quiser,
Seja ele homem ou ela mulher,
Desde que haja um equilíbrio.

Que o pão nosso de cada dia,
Seja o equilíbrio.
A balança crucial que tem dois pesos,
Duas medidas.
De um lado ele glorioso,
Majestoso e Imortal,
O RESPEITO.

Do outro ela imponente,
Soberana e Primordial,
A TOLERÂNCIA.

Peço equilíbrio pois hoje o que quero
Você também quer,
Mas amanhã posso querer,
O que você não quer.
Então temos que acordar,
Firmar e nos propor a amar,
O que a nós não for,
Assim,
TÃO SEMELHANTE.

DEIXE UM COMENTÁRIO